Novos Povoadores

Apoiamos familias metropolitanas a instalar negócios em territórios rurais

"Como prevenir a perda de clientes no processo de relocalização da minha empresa?"

Quando pensamos na transferência da nossa empresa para uma zona rural, sentimo-nos assaltados pelo receio da perda de clientes, mesmo para as empresas que foram criadas após a massificação da internet.
Todos os negócios passam pela confiança entre os seus interlocutores, sendo fundamental o contacto pessoal nessa construção.

Para os empresários, a par do projeto de migração familiar para um contexto mais sustentável, surge a pergunta sacramental: "Como prevenir a perda de clientes no processo de relocalização da minha empresa?"

As tecnologias de comunicação não presencial ajudam nessa tarefa, em particular as redes sociais.
Mas não é tudo.
A participação em eventos relevantes para o mercado em que opera, ganha uma renovada importância.
Marcar presença nesses eventos é fundamental para não perder essa ligação.

Para além disso, essa migração permitirá optimizar custos de funcionamento da empresa, permitindo reduzir os valores de venda sobre os serviços prestados. E esse factor, no actual contexto, permitirá crescer em quota de mercado.

Bons negócios!

E-Migrar para Portugal

A polémica em torno das declarações do Primeiro Ministro sobre emigração dos professores tem provocado celeuma suficiente para jornalistas e comentadores discutirem os destinos mais aliciantes para portugueses em busca de uma oportunidade. Brasil, Angola, China?

Nos Novos Povoadores, preferimos falar em destinos como Alfandega da Fé, ou outras regiões do interior rural. Tristemente, a polémica não inspira os opinion makers a levantar o véu sobre as oportunidades que residem no reequilibrio territorial baseado na mobilização de uma população empreendedora capaz de gerar riqueza independentemente da localização geográfica (economia DNS).

Há um país por "descobrir". Esconde-se entre a visão romântica do meio rural e o estigma de um interior empobrecido. Na realidade, se a ideia de um projecto de turismo em espaço rural e uma pequena agricultura familiar nutre muitos sonhos, não é menos verdade que hoje, as assimetrias regionais são acentuadas em grande medida pela escassez de população.

É certo que o momento que Portugal atravessa não é dos mais auspiciosos, mas neste período em que o governo está concentrado na consolidação das finanças públicas, e a economia no seu todo sofre um severo abrandamento, é o momento oportuno para reflectir sobre o que, para cada um de nós, pode constituir uma oportunidade.

...e-Migração, porque não?
Emigração das suas ideias, dos seus serviços, sem dúvida! Na economia chamam-lhe exportação, e pode fazê-lo "e-migrando" dentro de Portugal em total segurança e qualidade.

A [e-migração] resultado da procura de melhores condições de vida fruto da ligação ao mercado global.

"Arranjam emprego às familias que mudam para o interior? É que sem emprego é difícil mudar!"



Esta é a pergunta com a qual somos confrontados diariamente no nosso email.

Por isso, entendemos dedicar-lhe uma resposta "alargada" e publicá-la na entrada do nosso site.

Durante várias décadas, o combate ao despovoamento foi realizado através do aumento do emprego público. As Câmaras Municipais aumentavam o seu quadro de pessoal e assim garantiam a manutenção da sua população.
Em 2005, percebemos que essa estratégia não era sustentável nem duradoura. E por isso nasceu o projecto Novos Povoadores.

Hoje, trinta por cento das actividades profissionais dependem apenas da ligação à internet. Um contabilista, por exemplo, pode estar em Alfândega da Fé - um dos locais em Portugal com menor densidade populacional - e a realizar a contabilidade dos seus clientes do Porto ou de Lisboa.

E são esses profissionais, que desenvolvem actividades para fora do concelho e da região, que podem ser os agentes de dinamização destes territórios de interior: Porque o rendimento que captam no exterior, vão introduzir nestas regiões através dos seus consumos diários como o arrendamento de habitação, a contratação de serviços, a alimentação, no supermercado, na educação e outros.

Por isso, o projecto Novos Povoadores apoia a transferência de empreendedores para as regiões de menor densidade populacional como alavanca para o desenvolvimento destes territórios.

Proprietários ficam mais tempo no desemprego

Um artigo encontrado no site do jornal francês Le Figaro dá conta de um estudo realizado por dois economistas do "Centre d'analyse stratégique (CAS)" em que é estabelecida uma co-relação entre taxa de desemprego e taxa de propriedade (imobiliário). Segundo aquele estudo, os países que evidenciam altas taxas de "proprietários residentes" são simultaneamente os países com taxas de desemprego mais elevadas. A explicação encontrada é relativamente simples, a posse de um apartamento ou de uma casa transforma-se numa âncora pesada que dificulta a procura de um novo posto de trabalho.

Fundo EDP para a Biodiversidade

A EDP abriu a 22 de Abril, Dia da Terra, o período de candidaturas à edição 2010 – a terceira - do seu Fundo para a Biodiversidade. Os interessados poderão apresentar os seus projectos até 30 de Junho.

O Fundo EDP para a Biodiversidade foi criado em 2008 e dotado então de um montante global de 2 milhões e meio de euros, a ser distribuído gradualmente até 2011. A edição deste ano, a exemplo do que aconteceu nas anteriores, disponibiliza uma verba de 500 mil euros para os projectos que vierem a ser distinguidos.

O Regulamento e as informações relevantes podem ser consultados no sítio da Fundação EDP na Internet, em www.fundacao.edp.pt (na página www.edp.pt/pt/sustentabilidade/fundacoes/fundacaoedp/programas/Pages/FundoEDPparaaBiodiversidade.aspx). Nesta página também se disponibiliza informação sobre os projectos vencedores nas duas edições anteriores.

Para mais informações e apoio: fundobiodiversidade@edp.pt

Augusto Franco

TEDxSP 2009 - Augusto de Franco from TEDxSP on Vimeo.

Visões sobre o futuro



António Câmara discorre sobre 4 temas ao longo do mês de Março na Culturget:


Espaços Públicos (10/03)

Inteligência Colectiva (17/03)

Objectos Inteligentes (24/03)

A Comunicação em 2050 (31/03).


Já é possível ver os vídeos online neste link.

via site da CGD

COLÓQUIO: "TRANSIÇÃO PARA UMA ECONOMIA E CULTURA PÓS-CARBONO"


Realiza-se em Pombal no próximo dia 10 de Abril um colóquio cuja temática procurará responder aos seguintes objectivos:

"Consciencializar as pessoas para os limites aos crescimento, as alterações climáticas e a dependência da nossa Civilização dos combustíveis fósseis abundantes e baratos;

Alertar para a insustentabilidade a médio/longo prazo dos actuais sistemas de produção, distribuição e consumo de bens e serviços;

Identificar factores estruturais de mudança: redução energética, uma nova organização do espaço e das relações territoriais, sociais e económicas;

Sugerir que estilos de vida com menor consumo energético, cuidado com o Ambiente, e sobretuto mais integrados nas comunidades locais, conduzem à subida dos níveis de bem-estar;

Divulgar e sensibilizar para um conjunto de iniciativas em curso de estímulo à mudança de paradigma de desenvolvimento: as Iniciativas de Transição (Transition Towns): porquê, para quê e como?;

Partilhar boas práticas existentes que estão de acordo com espírito da Transição no contexto português;

Discutir a ideia do desenvolvimento de uma Iniciativa de Transição-piloto no concelho de Pombal: que ameaças e oportunidades, a definição de um conceito, a identificação de parceiros, a dinamização de um grupo de trabalho."


Mais informações sobre o programa e inscrições no site www.permaculturaportugal.ning.com

Europa 2020: a Comissão propõe uma nova estratégia económica para a Europa

A Comissão Europeia lançou hoje a Estratégia Europa 2020 para assegurar a saída da crise e preparar a economia da UE para a próxima década. A Comissão identifica três vectores fundamentais de crescimento que deverão orientar as acções concretas a nível da UE e a nível nacional: crescimento inteligente (promover o conhecimento, a inovação, a educação e a sociedade digital), crescimento sustentável (tornar a nosso aparelho produtivo mais eficiente em termos de recursos, ao mesmo tempo que se reforça a nossa competitividade) e crescimento inclusivo (aumento da taxa de participação no mercado de trabalho, aquisição de qualificações e luta contra a pobreza). Esta batalha em prol do crescimento e do emprego exige um empenhamento ao mais alto nível político e a mobilização de todos os intervenientes à escala europeia. São fixados cinco objectivos que definem o que pretendemos para a UE em 2020 e que nos permitirão acompanhar os progressos alcançados.

Os progressos para alcançar estes objectivos serão avaliados em função de cinco objectivos representativos a nível da UE, que os Estados-Membros deverão traduzir em objectivos nacionais, tendo em conta os seus diferentes pontos de partida:

  • 75 % da população de idade compreendida entre 20 e 64 anos deve estar empregada.

  • 3 % do PIB da UE deve ser investido em I&D.

  • os objectivos em matéria de clima/energia «20/20/20» devem ser cumpridos .

  • a taxa de abandono escolar deve ser inferior a 10 % e pelo menos 40 % da geração mais jovem deve dispor de um diploma do ensino superior.

  • 20 milhões de pessoas devem deixar de estar sujeitas ao risco de pobreza.

Acompanhar o resto da informação aqui

Novos Povoadores patrocinam neutralização de CO2 com o evento TEDxOporto

O projecto Novos Povoadores patrocinou a liquidação das emissões de carbono do evento TEDxOporto que se realizou no passado dia 20 de Fevereiro na Alfândega do Porto.

A entidade seleccionada para a neutralização das referidas emissões foi a ARDAL - Associação Regional de Desenvolvimento do Alto Lima.

Esta iniciativa enquadra-se na estratégia do projecto Novos Povoadores em envolver recursos naturais e patrimoniais dos territórios de baixa densidade em projectos de influência nacional.

A iniciativa contou com painel de oradores de excelência e as talks estarão em breve disponíveis em DVD.

Site oficial do evento em TEDxOporto
See Older Posts...