Apoiamos familias metropolitanas a instalar negócios em territórios rurais

O Programa Novos Povoadores é um serviço que vem despertar para novas oportunidades.

Novas oportunidades de negócio, novas oportunidades de modelos e gestão de negócios (teletrabalho, nearshoring), novas oportunidades de desenvolvimento regional.

As premissas que sustentam este serviço fundamentam-se em três pontos básicos:
1) a crença de que é possível desenvolver um alargado número de actividades actualmente centralizadas nas duas metrópoles portuguesas em áreas geográficas menos congestionadas;
2) existe uma apetência crescente por parte de empresários, trabalhadores independentes ou dependentes, bem como potenciais empreendedores para iniciar um processo de deslocalização das suas actividades profissionais por um lado, mas também das suas vidas familiares;
3) há todo um pais preparado para receber novos habitantes, com todas as condições para competir na economia do conhecimento, na economia digital etc...

Enquanto serviço, o projecto coloca numa única plataforma todos os parceiros e instrumentos (informação) necessários para materializar uma tendência que cremos de ordem civilizacional.
Objectivamente, trata-se de conjugar os interesses e necessidades de potenciais interessados com as condições existentes nas cidades e vilas que pretendem atrair uma nova vaga de capital humano. Em termos de estrutura do projecto, identificam-se duas grandes bolsas que agregam por um lado uma bolsa de oportunidades no lado da oferta, e na vertente da procura, o perfil detalhado dos potenciais interessados.

É fundamental considerar uma nota sobre todo o processo implícito neste serviço. A passagem de uma vida urbana para um quotidiano mais tranquilo deve ser objecto de profunda reflexão e ponderação. Com base neste pressuposto, o serviço associado aos Novos Povoadores é necessariamente um processo faseado que auxilia na ponderação dos vários factores a ter em conta e que em última análise facilita a adopção de um estilo de vida que, por ser diferente, deve acima de tudo ser melhor.

Nesta sequência, é oportuno referir a estrutura organizativa do projecto que se edifica sobre 5 pilares de actuação:

Área Organizações: destina-se a identificar e promover este conceito junto de grandes organizações que equacionem a participação num processo nearshoring (deslocalização para proximidade).

Área Empreendedorismo: destina-se a identificar e cativar empreendedores para estes territórios.

Área Território: estruturar as oportunidades existentes.

Área Mediação: elo de facilitação para a instalação dos novos habitantes.

Área Comunicação: projecção e partilha de resultados do projecto.

Em síntese, o Programa Novos Povoadores vem despertar para uma nova forma de ver o Interior. Vencer o estigma da interioridade, potenciar recursos, e proporcionar condições de maior competitividade e criatividade para as empresas. Acreditamos que a atitude que pretendemos imprimir nesta iniciativa se coaduna com a dimensão do desafio. É sem dúvida um trabalho de grande profundidade que provoca algumas alterações na forma de estar em família, na forma de pensar o território e na forma de actuar empresarialmente. O desafio está assim dividido em vários patamares: transformação social, competitividade territorial e empresarial (par a par), bem como contributo para a melhoria da qualidade de vida e da preservação dos Ecossistemas.